Presidente da Anatel diz que não afrontou Lula

O presidente da Anatel, Luiz Guilherme Schymura, disse na entrevista em que anunciou o aumento das tarifas de telefonia que não houve disposição de afrontar o presidente da República, contrário ao reajuste, mas apenas de cumprir o que o contrato com as operadoras determina. Schymura afirmou não ter recebido do presidente Luiz Inácio Lula da Silva nenhum pedido formal para que não fosse concedido o reajuste. Ele disse que recebeu ofício do ministro das Comunicações, Miro Teixeira e, posteriormente, um telefonema do ministro no qual pediu que a Anatel repensasse e observasse que o impacto do reajuste seria elevado sobre a inflação. Segundo o presidente da agência, o objetivo da Anatel ao cumprir os contratos foi de preservar também o interesse dos consumidores. Segundo ele, no momento em que a agência aumentou em 41,75% as assinaturas comerciais e PABX, onde há grande concorrência e a habilitação, que já está com valores baixos, abriu espaço para reduzir de 28,75% para 25%, na média, o reajuste das assinaturas residenciais e do pulso, que são os itens que mais pesam no o bolso do consumidor. Técnicos da Anatel argumentaram ainda que se for calculado o impacto do reajuste concedido sobre os 20 anos do contrato de concessão, ele será menor do que o impacto que haveria na hipótese de parcelamento que chegou a ser cogitada anteriormente. Leia também: » Governo respeitará os contratos com as teles, diz Palocci » Lula pede a Anatel que só conceda reajuste após negociação » Telefônica antecipa à Agência Estado que aumento será de 28,7%, de uma só vez,

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.