Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Presidente da Bolsa de Nova York pede demissão

O presidente da Bolsa de Nova York, Richard Grasso, renunciou nesta quarta-feira após uma semana de intensa pressão contra o pacote recebido por ele de US$ 139,5 milhões em comissões, salários e benefícios. Na véspera da demissão de Grasso, que atuava na bolsa há 36 anos, diretores de grandes fundos de pensão pediram a renúncia do presidente da bolsa, afirmando que sua remuneração não era apropriada. Com as pressões, Grasso convocou uma reunião de emergência e disse que renunciaria caso o Conselho da Bolsa desejasse. Segundo o jornal Wall Street Journal, a presidência interina será ocupada por Larry Sonsini, presidente de uma empresa de advocacia no Estado da Califórnia e um comitê será criado para escolher um nome definitivo para presidir a New York Stock Exchange, a Bolsa de Nova York.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.