Presidente da CE admite preocupação com crise nos EUA

José Manuel Durão Barroso afirma que mesmo com economia sólida, Europa pode ser contaminada

Humberto Maia Junior, do Jornal da Tarde,

18 de março de 2008 | 20h07

O presidente da Comissão Européia, José Manuel Durão Barroso, disse nesta terça-feira, 18, estar preocupado com a crise na economia dos Estados Unidos e não descartou a possibilidade de a turbulência contaminar a economia européia. "A instabilidade financeira não é boa para ninguém e com certeza estamos preocupados e vigilantes", afirmou.   Barroso disse que o risco de contaminação existe, ainda que a economia européia apresente fundamentos macroeconômicos sólidos. "Temos um déficit público em média de 1% (do PIB), o que de fato é extraordinário. Temos o maior crescimento das exportações e o mais baixo nível de desemprego dos últimos 25 anos. Mas, obviamente que a instabilidade financeira acaba, mais cedo ou mais tarde, a ser transmitida a economia real."   O risco nesse caso, segundo ele, seria a redução no crédito, que pode frear o crescimento da economia mundial. "Recentemente, a Comissão Européia revisou para baixo a previsão de crescimento para este ano (para 2%). Mesmo assim, é um número bom para uma economia desenvolvida."   Segundo Barroso, a União Européia, por meio do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do G-7 (grupo dos sete países mais ricos), está "trabalhando com os parceiros americanos para ver o que se pode fazer para responder a essa instabilidade financeira".   As declarações do presidente da Comissão Européia foram dadas após encontro com o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab. Os dois conversaram sobre acordos de intercâmbios e investimentos entre a capital e os países da União Européia.

Tudo o que sabemos sobre:
Crise nos EUAUnião Européia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.