Presidente da Claro pede desculpas a clientes

O presidente da Claro, Carlos Zenteno, pediu desculpas aos clientes da empresa, nesta quinta-feira, ao deixar a sede da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Devido às reclamações de usuários em relação à qualidade dos serviços de telefonia e internet móvel, a partir de segunda-feira, a empresa estará proibida de vender novas linhas nos Estados de Santa Catarina, Sergipe e São Paulo.

EDUARDO RODRIGUES, Agencia Estado

20 de julho de 2012 | 13h35

"Eu queria pedir desculpas aos nossos clientes. A Claro está trabalhando para resolver o problema o mais rápido possível. Estamos priorizando a entrega das informações exigidas pela Anatel para voltarmos à normalidade em menos de 30 dias", afirmou Zenteno.

Conforme nota divulgada pela empresa no início da tarde, Zenteno destacou que a Claro irá antecipar investimentos de R$ 3,5 bilhões já planejados pela companhia para este ano. Segundo ele, a companhia voltará a se encontrar com o superintendente de serviços privados da Anatel, Bruno Ramos, na próxima segunda-feira. Além da Claro, a Oi foi suspensa em cinco e Estados e a Tim em 19 Unidades da Federação.

Tudo o que sabemos sobre:
OperadorassuspensãoClarodesculpas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.