Presidente da CNI espera que redução no custo de energia seja de 15%

'A energia no Brasil é muito cara por causa dos impostos', disse Robson Andrade ao deixar reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social 

Tânia Monteiro, da Agência Estado,

30 de agosto de 2012 | 13h24

BRASÍLIA - O presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Andrade, disse nesta quinta-feira, 30, que espera que a redução no custo de energia, que deve ser anunciada na próxima semana pelo governo,seja em torno de 15%. "Entre 10% e 15% (de redução) é um número bom", afirmou. "A energia no Brasil é muito cara por causa dos impostos", disse Andrade, ao deixar o Palácio do Planalto onde participou da reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES) .

Sobre a economia do País, o presidente da CNI disse que pela explanação

feita hoje pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, na abertura da reunião do CDES, a expectativa para o próximo ano é de crescimento de 4%. Neste ano, previu Andrade, o crescimento não chegará a 2%, apesar de o segundo semestre sinalizar que será melhor que o primeiro. "A economia realmente começou a crescer por causa, entre outros motivos, das políticas definidas pelo governo, que levaram à redução de juros e programas de investimentos", afirmou Robson Andrade.

Sobre a crise financeira internacional, o presidente da CNI disse que não dá para prever o que vai acontecer. "A gente não sabe se este é o pior ano da crise internacional, porque ainda pode vir coisa pior". 

Tudo o que sabemos sobre:
CNIreduçãoenergia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.