Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Presidente da CNI se diz "frustrado" com decisão do Copom

O presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), deputado federal Armando Monteiro Neto (PMDB-PE), se disse "frustrado" com a decisão "prudente" do Comitê de Política Monetária (Copom) de manter a Selic, os juros básicos da economia, em 26,5% ao ano, divulgada há pouco. Para ele, o maior perigo é o reflexo negativo que a manutenção dos juros em um patamar alto como o atual pode provocar no nível de emprego do setor industrial. "Há setores que podem perder empregos já no curto prazo. São principalmente os voltados unicamente para o mercado interno, em que a demanda está muito baixa há um bom tempo", avaliou, ao sair de reunião com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Segundo Monteiro Neto, os setores voltados para o mercado nacional estão com nível de atividade baixo há vários meses. "Só os mais voltados para o exterior e os do agronegócio é que conseguem se manter ou, em alguns casos, crescer um pouquinho", afirmou. O presidente da CNI defendeu que o Copom promova um corte na reunião do mês que vem, porque o "governo não pode continuar a fazer uma política monetária recessiva". "Será mais uma oportunidade de cortar juros, porque os indicadores macroeconômicos estão se mantendo. A pressão inflacionária cedeu, inclusive nos preços por atacado", finalizou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.