Presidente da Comissão Européia critica pacto de estabilidade

O presidente da Comissão Européia, o italiano Romano Prodi, em entrevista, esta manhã, ao Le Monde, criticou o pacto de estabilidade, o instrumento de base da política macroeconômica dos doze países pertencentes à zona do euro. Prodi disse que o "pacto de estabilidade é estúpido, como todas as decisões que sejam rígidas". Com repercussão imediata, o porta-voz da Comissão, Jonathan Faull, explicou à imprensa internacional que "estúpido é a aplicação dogmática do pacto de estabilidade sem levar em conta as conjunturas econômicas". Segundo Faull, Prodi quis dizer que "tudo que é rígido, é estúpido". Segundo o Le Monde, antes do euro, um país menos rigoroso submetia-se a uma alta das taxas de juros e arriscava-se à desvalorização de sua moeda e perguntou a Prodi, onde está a "polícia" deste sistema, atualmente? Segundo ele, ?é a coordenação das políticas econômicas, é o pacto de estabilidade. É o mínimo do mínimo. O pacto de estabilidade é imperfeito, é verdade, porque tem de haver uma ferramenta mais inteligente, e mais flexível, mas você sabe bem que se nós queremos flexibilidade e inteligência, temos de ter autoridade?. Questionado se ele próprio teria autoridade, respondeu: ?Não, é claro que não, ninguém tem autoriade. Este é o problema?. Já quando perguntado se os mercados financeiros teriam mais autoridade, ele afirmou: ?Sim. Dentro do euro, não é lógico ter a direção sem ter um guia para seguí-la. Nós não podemos ter uma Europa florescente, forte, em crescimento, sem poder ajustar suas decisões segundo o momento. Eu sei bem que o pacto de estabilidade é estúpido, como todas as decisões que sejam rígidas. Se nós queremos ajustar as decisões, temos de ter unanimidade e isto não funciona. Não é suficiente ter inteligência, nós a temos. Deve haver também poder de decisão?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.