Presidente da CUT sugere terapeuta ao presidente da Força

O presidente da CUT, Luiz Marinho, sugeriu hoje ao presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, o Paulinho, que busque a ajuda de um terapeuta para superar a raiva que ele estaria sentido da CUT. Na última terça-feira, a Força rompeu relações com a CUT em razão de denúncias de que Paulinho foi vítima de um dossiê produzido por pessoas ligadas à CUT e ao PT na campanha presidencial do ano passado, quando era vice na chapa do agora ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes. Marinho afirmou que dirigentes da Força disseram que Paulinho "está muito bravo e que o melhor é deixar a raiva passar". "Coisas desse tipo só se resolvem mesmo com o tempo ou com um terapeuta", disse. O presidente da CUT afirmou que desde a última segunda-feira vem tentado, sem sucesso, fazer contato com o presidente da Força Sindical com o objetivo de que as duas entidades voltem a atuar juntas na campanha salarial unificada. "Deixei recados mas até agora o Paulinho não retornou os telefonemas", disse. Para o presidente da CUT, a campanha salarial unificada "é estratégica" neste momento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.