Presidente da CVM é vitima de novo golpe

Depois de ver o nome envolvido em intimações falsas, o presidente da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), Luiz Leonardo Cantidiano, foi alvo esta semana de um novo golpe. Desta vez, o caso envolveu o Ministério da Fazenda. Assessores do ministro Antônio Palocci receberam no último dia 18 uma carta com um pedido falso de demissão do presidente da CVM.Os assessores estranharam o fato da carta ter sido encaminhada pelo correio. Depois da investigação, descobriram que a assinatura não era de Cantidiano. O ministério informou o presidente da CVM e encaminhou a carta a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional, que entregou o caso à Polícia Federal.Essa é a segunda vez este mês que a Polícia Federal precisa ser acionada para investigar a autoria de documentos falsos atribuídos à CVM. No início do fevereiro, foram descobertas intimações falsas, nas quais eram chamadas a prestar depoimentos três envolvidos em um inquérito administrativo aberto para apurar irregularidades no Opportunity Fund, um fundo criado pelo Opportunity para estrangeiros investirem no Brasil.O golpe foi descoberto e encaminhado à PF pela própria autarquia assim que alguns dos intimados procuraram saber o motivo de terem sido convocados a prestar informações em um inquérito administrativo do órgão.Cantidiano virou alvo nos últimos dias de uma série de acusações de que estaria favorecendo o banco Opportunity no inquérito aberto pela CVM antes de entrar no órgão. O presidente nega as denúncias e já revelou estar reunindo documentos para provar que não existe conflito de interesse no caso.Ele descartou que pressões políticas estejam motivando uma série de acusações. Até o final de março, o governo precisa preencher duas vagas no colegiado do órgão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.