Presidente da CVM se declarará impedido de julgar caso Opportunity

O presidente da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), Luiz Leonardo Cantidiano, afirmou hoje que pode se declarar impedido de julgar o inquérito administrativo que apura irregularidades no Opportunity Fund, assim como já se declarou impedido em todos os casos acompanhados pelo seu escritório de advocacia ou por ele antes de sua entrada na autarquia.Cantidiano lembrou o caso da White Martins, que foi condenada por ter prejudicado minoritários durante o processo de fechamento de capital. Na época, ele era advogado da Praxer, controladora da White Martins. "Não posso falar do futuro, mas, se olhar para o passado, em todos os casos em que atuei me declarei impedido", afirmou. Ele descartou que pressões políticas estejam motivando uma série de acusações de que estaria favorecendo o Opportunity no inquérito aberto pela CVM. "Não tenho poder para escolher os diretores da CVM. Essa é uma decisão do ministro da Fazenda e do presidente da República", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.