Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Presidente da GM afirma que concordata agora é provável

Companhia norte-americana tem até o dia 1º de junho para reduzir custos e dívida para evitar a concordata

Danielle Chaves, da Agência Estado,

14 de maio de 2009 | 13h08

O presidente e executivo-chefe da General Motors, Fritz Henderson, afirmou que a concordata agora "é provável", segundo informou a agência Bloomberg News. Em uma entrevista, Henderson disse que "é provável que a GM acabe usando o processo de concordata". Henderson afirmou que qualquer jornada no tribunal de concordata deverá ser rápida e acrescentou que é importante para a GM ser capaz de tomar decisões depressa. A companhia tem até o dia 1º de junho para reduzir custos e dívida para evitar a concordata.

 

Veja Também:

especialAs medidas do emprego

especialDe olho nos sintomas da crise econômica 

especialDicionário da crise 

especialLições de 29

especialComo o mundo reage à crise

 

Na semana passada, Henderson havia afirmado que era "mais provável" que a companhia precisasse atingir seus objetivos durante um processo de concordata. Mas, na ocasião, o executivo observou que ainda havia chance de que a GM resolvesse a situação fora dos tribunais. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
GMcrise nos EUAcrise internacional

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.