Presidente da GM no Brasil e na América do Sul deixa comando do grupo

Montadora foi a que mais teve problemas com a falta de semicondutores; sem dar muitos detalhes sobre motivo da saída, nota diz que sucessor será anunciado nos próximos dias

Cleide Silva - O Estado de S.Paulo

Numa nota sem muitos detalhes, a General Motors informou nesta tarde de quarta-feira, 25, que o presidente da empresa no Brasil e na América do Sul, Carlos Zarlenga, decidiu deixar o grupo “para buscar outras oportunidades.” O anúncio ocorre dez dias após o retorno das operações da fábrica de Gravataí (RS), que ficou quase cinco meses parada em razão da falta de semicondutores para a produção do Onix, carro mais vendido no País antes da crise dos chips.

Amanhã retornam os funcionários da unidade de São Caetano do Sul, que ficaram em casa por quase dois meses. Nesse caso, a empresa aproveitou para fazer uma reforma na fábrica para início de produção da nova picape Montana. Em ambos os casos, voltaram apenas as equipes de um turno de trabalho. O segundo segue suspenso por tempo indeterminado.

Carlos Zarlenga ocupava posto de presidente da GM no Brasil e na América do Sul desde 2013. Foto: Taba Benedicto/Estadão - 6/2/2020

A empresa informa que vai nomear um sucessor para liderar a região em breve. Até lá, o diretor financeiro da GM América do Sul, Roberto Martin, conduzirá os negócios da marca temporariamente.

Continua após a publicidade

Segundo a nota, o presidente da GM Internacional, Steve Kiefer, agradeceu pela liderança do argentino Zarlenga na América do Sul desde 2013, destacando que ele “tem sido uma força motriz para mudanças, não apenas em nossos negócios, mas na indústria automotiva na América do Sul”.

Cita ainda que, sob sua liderança, a GM está realizando um investimento histórico para fornecer veículos globais líderes de mercado e dar seguimento aos mais de 100 anos de sucesso da Chevrolet na região. São R$ 10 bilhões para o período 2021 a 2025.

“Ele levou a marca Chevrolet à liderança de mercado no Brasil e manteve-a na América do Sul”, disse Kiefer. Segundo ele, Zarlenga construiu ainda “uma base sólida para o sucesso sustentável da Chevrolet” na região.

Tudo o que sabemos sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato

Presidente da GM no Brasil e na América do Sul deixa comando do grupo

Montadora foi a que mais teve problemas com a falta de semicondutores; sem dar muitos detalhes sobre motivo da saída, nota diz que sucessor será anunciado nos próximos dias

Cleide Silva - O Estado de S.Paulo

Numa nota sem muitos detalhes, a General Motors informou nesta tarde de quarta-feira, 25, que o presidente da empresa no Brasil e na América do Sul, Carlos Zarlenga, decidiu deixar o grupo “para buscar outras oportunidades.” O anúncio ocorre dez dias após o retorno das operações da fábrica de Gravataí (RS), que ficou quase cinco meses parada em razão da falta de semicondutores para a produção do Onix, carro mais vendido no País antes da crise dos chips.

Tudo o que sabemos sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato

Encontrou algum erro? Entre em contato

Atualizamos nossa política de cookies

Ao utilizar nossos serviços, você aceita a política de monitoramento de cookies.