Presidente da HP mostra a Lula novo modelo de exportações

A presidente mundial da Hewlett-Packard, Carly Fiorina, apresentou hoje ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva o projeto piloto de uma plataforma para exportação de serviços de tecnologia da informação. O modelo foi concebido para integrar as iniciativas da Política Industrial do Governo para a área de software. A proposta da HP, entregue oficialmente hoje ao governo, prevê a desoneração da produção e das exportações de serviços de TI, além de modelos financeiros e tecnológicos que dêem ao País a competitividade aos serviços prestados ao exterior a partir do Brasil.O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, afirmou, no evento, que o modelo fiscal já está sendo analisado pelo governo. "Espero que consigamos chegar a uma fórmula convergente com os anseios do setor privado e que nos levará a criar capacidade para exportar US$ 2 bilhões, até 2007, em software e serviços de TI", comentou o ministro. Atualmente, o Brasil exporta ao redor de US$ 100 milhões ao ano desse tipo de produto. Furlan disse ainda que está tentando convencer o Ministério da Fazenda de que esses são produtos diferenciados e que merecem um tratamento adequado por parte do governo.ModeloO projeto apresentado pela HP ao governo brasileiro é, na verdade, um modelo conceitual chamado PES, ou Plataforma de Exportação de Serviços Vinculados à Tecnologia da Informação. Uma PES é formada por infra-estruturas tecnológicas delimitadas e controladas, com uso intensivo de hardware, softwares, redes de comunicação e conhecimento especializado. As plataformas precisam que os insumos sejam desonerados, no que se refere a custos em impostos, impedindo assim que sejam repassados aos serviços exportados. A proposta é de que essas "ilhas tecnológicas" tenham um tratamento fiscal especial, que a HP denomina Regimes Especiais Para Plataformas de Exportação de Serviços de TI. A PES vai permitir, segundo a HP, que o Brasil concorra diretamente com a Índia, país que obtém 22% do total de suas exportações com as vendas externas de serviços de TI.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.