"be water"

Coluna Leandro Miranda: como se moldar à nova economia após a covid-19?

Presidente da Opep diz que avaliará alta relevante na produção

O presidente da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), Purnomo Yusgiantoro, disse esta manhã que o cartel está considerando três opções para elevar a produção de petróleo e conter a apreciação dos preços do complexo. As três opções, que inclui elevação "relevante" da cota de produção, deverão ser discutidas no encontro formal do grupo em 3 de junho, afirmou.Com base em estimativas de que o grupo já está fornecendo 2,3 milhões de barris ao dia acima do teto formal de 23,5 milhões de barris diários, Purnomo disse que o grupo poderia legitimar esse montante. A segunda opção seria elevar em mais de 2,3 milhões de barris o teto oficial do grupo. Segundo Purnomo, as duas primeiras opções não devem ter impacto significante nos preços do petróleo. A terceira opção seria utilizar "um relevante aumento na produção de petróleo" que produziria efeito psicológico no mercado e reduziria os preços.Ele afirmou que a terceira opção não levaria o mercado ao super abastecimento, já que a demanda por petróleo tende a crescer no terceiro trimestre. "Veremos também quanto o Iraque conseguirá produzir em junho", afirmou. A Opep produz atualmente cerca de 88% do total de sua capacidade.Preço despencaOs contratos futuros do petróleo cru caem forte no pregão regular da Nymex, com declarações da Opep e da Arábia Saudita mais convincentes sobre as perspectiva de aumento de oferta da commodity. Às 12h38 (horário de Brasília), o contrato de julho do petróleo cru caía US$ 1,48 (3,64%), para US$ 39,22 o barril. Na mínima, chegou a US$ 39,00. O contrato de mesmo vencimento do petróleo tipo brent cedia US$ 1,03 (2,78%), para US$ 36,00 o barril na IPE, em Londres. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.