Presidente da Opep já considera novo aumento de produção

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) vai considerar outra elevação de 500 mil barris/dia, se os preços do petróleo não caírem nos próximos 10 dias, disse o presidente do cartel, xeque Ahmed Fahd Al-Ahmed al-Sabah. "Como Opep, continuaremos a observar o mercado atentamente", disse o xeque, que também é ministro de Energia do Kuwait. "Acreditamos que se os preços permanecerem aonde estão nos próximos 7 a 10 dias, começaremos a contatar nossos colegas ministros para discutir outra elevação de 500 mil barris/dia, que o presidente tem autoridade de decidir após consultas", acrescentou.Ontem, durante o encontro ministerial em Isfahan (Irã), o cartel autorizou uma elevação do teto de produção de 500 mil barris/dia a partir de 1º de abril e outro aumento de igual volume num momento posterior. Contudo, a medida não impressionou o mercado e os preços do petróleo atingiram novos níveis recordes na seqüência. O secretário-geral em exercício da Opep, Adnan Shihab-Eldin, disse que o fechamento recorde de ontem do petróleo na Nymex não era o resultado que o grupo esperava. "Os preços deveriam ter cedido", disse.O mercado ignorou o aumento da Opep porque o grupo já produz acima de seu teto oficial de 27 milhões de barris/dia. Portanto, o aumento anunciado ontem não significa necessariamente uma oferta extra da commodity. Contudo, o xeque Al-Sabah indicou que ainda não era momento de autorizar o segundo aumento no teto de produção do grupo. "Sabemos que o mercado não absorveu as decisões da Opep", disse o presidente do cartel, referindo-se à alta dos preços na quarta-feira. Ele disse que a reação do mercado "pode ser resultado de temores ou de uma escassez do produto". As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.