Presidente da Samsung renuncia após denúncias de evasão fiscal

Kun-hee pode ser condenado a cinco anos de prisão se for comprovado que acusações são verdadeiras

Efe,

22 de abril de 2008 | 01h16

O presidente do grupo sul-coreano Samsung, Lee Kun-hee, anunciou nesta terça-feira, 22, sua renúncia, após ter sido processado na última semana por evasão fiscal. "Peço perdão pela preocupação gerada com o problema da investigação especial e assumirei toda a responsabilidade legal e ética das acusações", disse Lee em entrevista coletiva televisionada. "Hoje me retirarei da Presidência da Samsung", disse o dirigente do maior conglomerado empresarial sul-coreano. Ele pode ser condenado a cinco anos de prisão se for comprovado que as acusações que pesam sobre si são verdadeiras. Na semana passada, um promotor independente acusou formalmente Lee, de 66 anos, de evasão fiscal e prevaricação, ao final de uma investigação de três meses por supostas práticas de corrupção na empresa, responsável por 20% das exportações da Coréia do Sul. O promotor, Cho Joon-woong, acusou Lee e outros nove diretores dessa empresa de evadir US$ 114 milhões em impostos, mas os absolveu da acusação de suborno e decidiu não deter o diretor por possíveis problemas para a economia sul-coreana. O caso foi aberto por causa das denúncias de um ex-assessor da companhia, Kim Yong-chul, que afirmou que o conglomerado sul-coreano tinha um fundo multimilionário sob contas falsas para facilitar a transferência do controle da empresa ao filho do presidente, Lee Jae-yong. A investigação do promotor especial concluiu que Lee Kun-hee tinha US$ 4,6 bilhões ocultos em contas de outros executivos da empresa. O presidente da Samsung disse nesta terça que seu filho deixará o cargo de diretor da Samsung Electronics para se dedicar a abrir mercados estrangeiros para o grupo e que sua esposa, Hong Ra-hee, renunciará também como diretora do museu Leeum. Além disso, outros dois diretores renunciarão assim que concluírem suas tarefas. Em relação ao dinheiro que escondeu nas contas de outros diretores da Samsung, Lee disse que pagará todos os impostos que lhe correspondem e que dedicará o resto a fins beneficentes.

Tudo o que sabemos sobre:
Samsungevasão fiscalCoréia do Sul

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.