AFP/Turkish Presidential Press
AFP/Turkish Presidential Press

Presidente da Turquia se opõe a subir juros mesmo com lira em queda

Moeda local já perdeu 40% de seu valor desde o início do ano; líder evitou comparações com crise atual e queda dos Tigres Asiáticos, nos anos 1990

Agências, Reuters

12 Agosto 2018 | 18h53

O presidente turco, Tayyip Erdogan, manteve sua oposição neste domingo, 12, contra a alta dos juros, apesar da forte queda da lira turca, dizendo que a fraqueza da moeda não reflete a realidade econômica do país.

Falando a simpatizantes em Trabzon, na costa do Mar Negro, Erdogan rejeitou as sugestões de que a Turquia estava em uma crise financeira semelhante às dos Tigres Asiáticos nos anos 1990, diminuindo as expectativas de um aumento da taxa de juros para sustentar a moeda.

A lira turca perdeu cerca de 40% de seu valor este ano, em grande parte devido às preocupações com a influência de Erdogan sobre a economia, suas repetidas solicitações por taxas de juros mais baixas diante da alta inflação e pela piora das relações com os Estados Unidos.

"As taxas de juros são uma ferramenta de exploração que torna os ricos mais ricos e os pobres mais pobres", disse Erdogan. "Ninguém deveria tentar nos fazer cair nessa armadilha, não seremos enganados por essa trama, ninguém deve ficar excitado."

Erdogan, que se auto denominou “inimigo das taxas de juros”, quer crédito barato dos bancos para estimular o crescimento, mas os investidores temem que a economia esteja superaquecida e possa ter um patamar difícil.

Seus comentários sobre as taxas de juros - e recente nomeação de seu genro como ministro da Fazenda - aumentaram as percepções de que o banco central não é independente.

No domingo, ele disse que a queda livre da lira foi resultado de uma conspiração e não refletiu os fundamentos econômicos da Turquia. “Qual é a razão para toda essa tempestade em um copo d’água? Não há razão econômica para isso ... Isso é chamado de realização de uma operação contra a Turquia”, disse ele.

As observações de Erdogan também reduziram as expectativas dos investidores de um aumento da taxa de juros pelo banco central.

O banco central elevou as taxas de juros para apoiar a lira em um movimento de emergência em maio, mas não apertou a sua política monetária em sua última reunião.

Na sexta-feira, a lira despencou para uma nova baixa recorde, caindo até 17% em determinado momento, o que motivou pedidos de investidores por ações do banco central para sustentar a lira.

Erdogan repetiu seu pedido para que os turcos vendam dólares e comprem liras para sustentar a moeda, enquanto disse para empresários para não estocarem dólares.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.