Presidente de Itaipu volta a defender tarifa atual

Jorge Salek diz que País continuará apoiando Paraguai em várias frentes, mas não vai mexer na tarifa

Gerusa Marques, da Agência Estado,

06 de maio de 2008 | 15h58

O presidente da Itaipu Binacional, Jorge Salek, reafirmou nesta terça-feira, 6, que o Brasil apóia, e continuará apoiando, o desenvolvimento do Paraguai em várias frentes, como educação e saúde, mas não se dispõe a acrescentar a essa colaboração o aumento da tarifa pelo fornecimento da energia de Itaipu não usada pelo Paraguai. "Não vejo razão para alterar o tratado de construção da usina", reafirmou, antes de participar de audiência pública na Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados para discutir a reivindicação do presidente eleito paraguaio Fernando Lugo de reajustar a tarifa. Veja também:Itaipu, um gigante polêmico Ele explicou que a tarifa paga atualmente "não é barata" e equivale ao que se cobra no Brasil. Segundo Salek, do total da tarifa, 65% se destinam ao pagamento do principal e dos juros da dívida contraída para construir a usina, 18% são usados no pagamento de royalties, divididos meio a meio entre os dois países, e os 17% restantes se aplicam na manutenção, operação e modernização da hidrelétrica.  O presidente da Itaipu Binacional confirmou que Lugo discutirá sua reivindicação com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva em Brasília, antes da sua posse, marcada para 15 de agosto.

Tudo o que sabemos sobre:
Itaipu

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.