Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Presidente de Taiwan diz que ilha sofre ameaças da China

O presidente de Taiwan, Chen Shui-bian, advertiu neste domingo sobre crescentes ameaças econômicas e militares da China à ilha. Em seu pronunciamento de Ano Novo, ele prometeu fortalecer a segurança de Taiwan. Em comentários que provavelmente irritarão a China, ele também sugeriu que Taiwan poderia realizar um referendo em 2007 para estabelecer uma nova Constituição.Pequim já se declarou fortemente contrária a um referendo constitucional, por temer que ele poderia levar a uma declaração formal de independência. A China considera Taiwan uma província rebelde que deveria ser reunificada ao governo central chinês. Tom conciliatórioCom sua popularidade pessoal em um recorde negativo e seu partido ainda cambaleando após uma forte derrota nas eleições locais do mês passado, muitos esperavam de Chen Shui-bian um tom conciliatório em seu discurso. Em vez disso, ele assinalou que o governo deve adotar uma posição mais dura em relação à China e buscar políticas domésticas para reforçar a identidade nacional da ilha.Repetindo uma promessa de pressionar por uma reforma constitucional, ele disse que um referendo para uma nova Carta poderia ser realizado em 2007 se as condições forem boas. O presidente advertiu sobre uma crescente ameaça militar da China, afirmando que o país teria disparado 784 mísseis contra Taiwan.Ele também pediu ao Parlamento, controlado pela oposição, para aprovar um orçamento especial que está bloqueado por mais de um ano para permitir a Taiwan comprar armas dos Estados Unidos para se defender melhor das supostas ameaças.Investimentos na China Ele alertou ainda para o risco que as companhias correm ao investir na China, sugerindo que o governo permanecerá firme contra as pressões do setor privado para remover barreiras ao comércio e ao investimento com a China.O governo adotará uma política de ?administração pró-ativa e liberalização efetiva? para proteger a segurança econômica de Taiwan, disse ele, advertindo que a ilha não deve depender economicamente da China.Apesar dos conflitos políticos entre Taiwan e a China, o setor privado da ilha já investiu cerca de US$ 100 bilhões na China e vem pedindo ao governo a aprovação de ligações diretas de transporte.

Agencia Estado,

01 de janeiro de 2006 | 10h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.