Adriano Machado/Reuters - 3/4/2018
Adriano Machado/Reuters - 3/4/2018

Presidente do BC diz que política monetária não será usada para controlar o câmbio

Comentário surge após avaliações no mercado financeiro de que o BC poderia elevar a Selic (a taxa básica de juros) para conter a escolada do dólar

Fabrício de Castro, O Estado de S.Paulo

08 Junho 2018 | 09h42

O presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, reafirmou nesta sexta-feira, 8, que a política monetária não será usada para controlar a taxa de câmbio. O comentário, que já havia sido feito por Goldfajn na noite de ontem, durante coletiva de imprensa, surge após avaliações no mercado financeiro de que o BC poderia elevar a Selic (a taxa básica de juros) para conter a escolada do dólar ante o real. Alguns países emergentes, como a Argentina, adotaram essa estratégia recentemente. 

+ Moeda americana passa de R$ 4,30 para o turista

"O regime é de câmbio flutuante, e tem sido nossa primeira linha de defesa", disse Goldfajn. "A política monetária é separada da política cambial. Não há relação mecânica entre as duas", acrescentou. 

+ Dólar fecha a R$ 3,91 após encostar em R$ 3,97

Conforme o presidente do BC, a política monetária "olha para projeções e expectativas de inflação e seu balanço de riscos e não será usada para controlar a taxa de câmbio". Ao mesmo tempo, Goldfajn reiterou que as decisões do Copom são sempre tomadas a cada reunião, o que ocorre a cada 45 dias.

 

Mais conteúdo sobre:
Ilan Goldfajn câmbio inflação juros

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.