Presidente do BCE diz que política monetária se fragmentou

O mercado financeiro fragmentado na Europa conduziu à fragmentação da política monetária única do Banco Central Europeu (BCE), afirmou o presidente do BCE, Mario Draghi, nesta terça-feira.

Reuters

19 de março de 2013 | 09h32

"Como vocês serão informados, os efeitos perturbadores da fragmentação severa no mercado financeiro único têm consequências tangíveis, como custos de financiamento divergentes para os bancos," disse Draghi no texto de um discurso a ser feito em Frankfurt.

"Isso resultou na transmissão desigual das nossas reduções da taxa de juro para empresas e famílias em toda a zona do euro. Por esta razão, o BCE teve que identificar os instrumentos de política mais efetivos para reparar essas perturbações, dentro de seu mandato," acrescentou Draghi em observações iniciais em uma conferência sobre a integração de mercados financeiros.

Draghi disse na semana passada que a principal prioridade do BCE é aprimorar a transmissão de sua política monetária por toda a zona do euro.

Atualmente, as famílias e as empresas nos países da periferia da zona do euro enfrentam custos de empréstimo mais altos do que aqueles no centro do bloco, apesar da taxa de juros oficial única para os 17 membros da região do euro.

A taxa básica de juros do BCE está em uma mínima recorde de 0,75 por cento.

(Reportagem de Eva Kuehnen e Paul Carrel)

Mais conteúdo sobre:
MACROEUROPABCE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.