Mario Gusman/EFE
Mario Gusman/EFE

Presidente do México apela a Donald Trump para salvar Nafta

Em carta ao líder americano, presidente eleito pede busca de ‘caminho comum’ entre as nações

Dow Jones Newswires, O Estado de S.Paulo

23 de julho de 2018 | 05h00

CIDADE DO MÉXICO - Em uma carta de tom conciliatório ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, o presidente eleito do México, Andrés Manuel López Obrador, disse estar pronto para iniciar uma nova etapa nas relações os EUA e o México, com o objetivo de buscar um “caminho comum” em temas de conflito, como comércio, migração, desenvolvimento econômico e segurança.

“Está tudo pronto para começar um novo estágio na relação de nossas sociedades com base na cooperação e prosperidade”, disse López Obrador na carta, que foi inicialmente revelada pelo The Wall Street Journal. O documento foi entregue a uma delegação de autoridades do governo norte-americano que visitou a Cidade do México, em 13 de julho, e se reuniu com o presidente eleito.

A carta foi divulgada ontem, dias antes de EUA, México e Canadá reiniciarem a renegociação do Acordo de Livre Comércio da América do Norte (Nafta, na sigla em inglês). Um representante de López Obrador se juntará à comitiva mexicana a Washington na próxima quinta-feira, 26.

O presidente escreveu a Trump que “vale a pena fazer um esforço para concluir a renegociação do Acordo de Livre Comércio da América do Norte”. Argumentou ainda que uma incerteza prolongada pode retardar o investimento a médio e longo prazos, o que poderia impedir o plano de López Obrador de estimular o crescimento econômico por meio de mais projetos de infraestrutura.

Imigração. A carta, que inclui uma descrição detalhada da plataforma do novo governo mexicano, também propõe a criação de um plano de desenvolvimento que inclua os países da América Central, em um esforço para conter o fluxo de migrantes em direção ao norte. 

++ Sob pressão, México procura parceria na América Latina

O presidente eleito propôs que 75% dos recursos econômicos disponíveis para o plano sejam usados para criar empregos no México e na América Central e 25%, para fortalecer a segurança nas fronteiras.

López Obrador venceu a eleição presidencial do México em 1.º de julho, com 53% dos votos, e assumirá o cargo em 1º de dezembro. A carta para Trump terminou com uma frase que tenta traçar paralelo entre a carreira política de ambos. 

++ Governadores declaram apoio às propostas de López Obrador

“Sinto-me encorajado pelo fato de que ambos sabemos como cumprir o que prometemos e enfrentamos adversidades com o sucesso. Conseguimos colocar nossos eleitores e cidadãos no centro e deslocar o establishment político”, escreveu. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.