Presidente eleito do México adotará modelo da Petrobrás

Para Enrique Peña Nieto, setor de energia do país está fechado há muito tempo e precisa ser aberto a investimentos do setor privado, assim como ocorre com a estatal brasileira

Álvaro Campos, da Agência Estado,

19 de setembro de 2012 | 12h14

O presidente eleito do México, Enrique Peña Nieto, disse nesta quarta-feira em São Paulo que pretende ampliar o fluxo comercial com o Brasil e aproveitar o modelo brasileiro de parceria entre a Petrobrás e o setor privado para modernizar a estatal Petróleos Mexicanos (Pemex). Em encontro com empresários brasileiros na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Peña Nieto destacou que o setor de energia, fechado há muito tempo no México, precisa ser aberto para investimentos do setor privado.

O presidente eleito afirmou que é preciso modernizar a Pemex, mas explicou que não se trata de uma privatização. "O que eu proponho é a modernização da Pemex. Não uma privatização, mas um mecanismo que facilite a participação do setor privado. Nós precisamos investir muito em exploração, produção e refino de petróleo e isso só será possível com parceria do setor privado."

Peña Nieto, que esteve ontem em Bogotá, comentou que os modelos de parceria entre petroleiras estatais e o setor privado na Colômbia e no Brasil servirão de base para o projeto que ele pretende enviar ao Congresso em breve para reformular o setor energético no México.

O presidente eleito se reunirá nesta quinta-feira, 20, com a presidente Dilma Rousseff, mas não quis adiantar quais assuntos serão discutidos durante o encontro.

Tudo o que sabemos sobre:
Méxicopresidente eleitoFiesp

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.