Joedson Alves/EFE
Joedson Alves/EFE

Presidente não vai intervir em juros dos bancos, diz porta-voz do governo

Declaração de Otávio Rêgo Barros vem após Bolsonaro pedir a redução dos juros do Banco do Brasil para crédito rural

Amanda Pupo, O Estado de S.Paulo

29 de abril de 2019 | 19h13

BRASÍLIA - O porta-voz do Planalto, Otávio Rêgo Barros, disse nesta segunda-feira, 29, que o presidente Jair Bolsonaro "não quer" e "não irá intervir" em qualquer aspecto relacionado a política de juros de bancos estatais.

"Obviamente que o presidente não quer e não intervirá em aspectos relacionados a juros nos bancos que estão em tese sob o guarda-chuva do governo", respondeu a jornalistas após ser perguntado sobre o episódio ocorrido em Ribeirão Preto, onde Bolsonaro fez um apelo pela redução dos juros do Banco do Brasil para o fomento ao crédito rural.

A declaração foi dirigida ao presidente do banco, Rubem Novaes, na abertura da feira Agrishow. "Apelo, Rubem (Novaes), para seu coração e patriotismo, que esses juros caiam um pouco mais", afirmou Bolsonaro. O porta-voz disse ainda que o presidente fez o comentário "num ambiente muito amigável", e que se a fala foi criticada foi uma "falta de oportunidade de evitar a crítica".

"Quando presidente fez esse comentário com presidente do Banco do Brasil foi num ambiente muito amigável", disse Barros.

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.