Presos mais dois acusados de fraude

Detidos tentavam sacar dinheiro depositado por doleiro, em esquema de evasão de divisas descoberto pela PF

Rodrigo Pereira, O Estadao de S.Paulo

09 de novembro de 2007 | 00h00

A Polícia Federal prendeu ontem em Curitiba duas pessoas que tentaram sacar dinheiro movimentado pelo grupo preso na terça-feira na Operação Kaspar 2. Ao todo, 22 pessoas já foram presas, entre empresários, doleiros e executivos de bancos suíços e americanos por esquema de evasão de divisas, que teria causado um rombo de R$ 1 bilhão ao Tesouro. Um dos presos de ontem foi autuado em flagrante ao tentar sacar um cheque administrativo no valor de R$ 172 mil. Com ele foi encontrado um outro cheque, no mesmo valor, e dinheiro, que não foi contado pela PF de Curitiba até ontem à noite. A PF acredita que ele faria saques em diferentes agências.O segundo preso teria tentado facilitar o saque, driblando o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf). O dinheiro que seria sacado ontem foi depositado pelo doleiro Michel Spiero entre os dias 29 de outubro e 5 de novembro, véspera da operação. Spiero é parente de Claudine Spiero, apontada nas investigações como o elo entre os bancos estrangeiros e os empresários.Não foram divulgados os nomes dos presos de ontem, mas a PF afirmou que o filho de Claudine, Daniel Spiero, e o suíço Marc Henri Dizerens, do UBS, continuam foragidos. A PF informou que incluiu no inquérito o deboche do executivo do UBS, Luc Mark Depensaz. Ao ser preso, ele disse que "quem tem dinheiro neste país não fica preso". O Ministério Público Federal só analisará a declaração após receber o inquérito da PF.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.