Pressionada por Vale e cautela externa, Bovespa cede 0,35%

O mercado teve uma quinta-feira apagada, com os investidores optando pela cautela diante da possibilidade de o Federal Reserve, o banco central norte-americano, ser mais contido em seu programa de afrouxamento monetário na reunião da próxima quarta-feira, dia 3. Além disso, há expectativa com o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) do terceiro trimestre que será anunciado nesta sexta-feira nos EUA. As bolsas em Nova York e aqui apresentaram comportamento volátil. O Ibovespa cedeu levemente, 0,35%, para 70.320,13 pontos, influenciado pelo recuo dos papéis da Vale. O lucro recorde da mineradora no terceiro trimestre chamou uma realização de lucros e as ações cederam quase 2%, após o mercado já ter antecipado um resultado muito bom nos últimos dias. Pelo quinto pregão seguido, Petrobrás apresentou valorização. A PN avançou 0,27% e a ON. 0,03%.

Cenário: Rosangela Dolis, O Estado de S.Paulo

29 de outubro de 2010 | 00h00

A ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), que confirmou a percepção de que a taxa básica de juros vai seguir em 10,75% este ano e manteve inalterada a aposta de alta do juro básico em 2011, não foi o principal fio condutor do mercado de juros. O que despertou mais a atenção acabou sendo o leilão de títulos prefixados do Tesouro Nacional, em que novamente não conseguiu vender papéis mais longos, ainda sob o efeito do IOF maior na renda fixa. O contrato de janeiro de 2013 cedeu de 11,86% para 11,83%.

O dólar foi negociado em queda perante as principais moedas. Apesar da desvalorização, a moeda dos EUA se manteve acima de R$ 1,70 pelo quinto dia útil, encerrando cotada a R$ 1,713.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.