Marcelo Camargo/Agência Estado
Marcelo Camargo/Agência Estado

Pretendemos entregar o relatório sobre Previdência em 30 dias, diz Jereissati

Relator da proposta no Senado, Tasso Jereissati (PSDB-CE) classificou texto aprovado na Câmara como o 'melhor possível'

Daniel Weterman e Amanda Pupo, O Estado de S.Paulo

08 de agosto de 2019 | 15h41

BRASÍLIA  Escolhido como relator da reforma da Previdência no Senado, o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) afirmou que pretende entregar o parecer sobre o texto na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa antes do prazo regimental. Ele falou em concluir os debates em 30 dias. 

Jereissati ainda classificou o texto aprovado pela Câmara como o "melhor possível", mas disse estar aberto para ouvir todos os senadores que tiverem sugestões de alterações. O parlamentar falou em ter celeridade na discussão do assunto. "Não podemos deixar o País com isso por suspenso por mais tanto tempo."

O senador se comprometeu em construir o relatório "da forma mais rápida possível dentro dos meus limites."

PEC paralela

Defendendo rapidez na aprovação da reforma da Previdência, Tasso Jereissati (PSDB-CE) destacou empenho para que as alterações apresentadas na Casa sejam feitas por meio de uma proposta paralela, evitando que o texto inicial retorne para a Câmara dos Deputados.

Para Jereissati, o País não suportaria arrastar a reforma da Previdência para o ano que vem. "Nós faremos praticamente deixar incólume aquilo que é o coração do que foi aprovado na Câmara e tentarmos através de uma PEC paralela a colocarmos aquelas modificações, alterações e adições que forem decidias aqui (no Senado)", declarou o tucano, ressaltando entender que esse é um consenso no Senado.

Ele admitiu que é "impossível" uma unanimidade em torno da proposta, mas afirmou que consenso e diálogo são possíveis. Jereissati prometeu fazer audiências públicas necessárias sobre o tema na CCJ. A comissão já abriu a possibilidade de senadores apresentarem requerimentos para realização de audiências públicas.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.