bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Prévia da inflação de maio mostra tendência de queda

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que na verdade é a taxa oficial do País, deve encerrar maio em queda. A afirmação pode ser feita com base nos dados da prévia do indicador, o IPCA-15, divulgados nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No levantamento, houve queda de 0,15% nos preços, contra aumento de 0,27% em abril. Com o resultado de maio, o IPCA-15 está em acumulado em 4,03% nos últimos 12 meses, o que representa uma taxa inferior à estipulada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), em 4,5% ao ano, para a meta de inflação. Porém, vale lembrar que esta referência é calculada pelo IPCA. Segundo o instituto, mais uma vez a queda nos preços do álcool combustível foi o principal responsável pela deflação no índice geral. O litro apresentou redução de 12,87% entre abril e maio, contribuindo negativamente com 0,17 ponto porcentual no IPCA-15. Com pressão um pouco menor veio a gasolina, com queda de 1,45%. Nos alimentos, mesmo com a alta de 9,71% nos preços do frango, o resultado do grupo foi negativo em 0,40%. Os destaques de queda foram: batata-inglesa (-18,21%), tomate (-11,81%) e feijão - carioca (-9,42%).A região metropolitana de Salvador (0,26%) apresentou o maior índice regional. Neste mês, seis das regiões pesquisadas registraram deflação. As mais expressivas foram em Goiânia (-0,78%) e Fortaleza (-0,68%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.