finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Prévia da inflação desacelera em julho, mas ultrapassa teto da meta em 12 meses

Apesar de ter desacelerado em julho para 0,17%, contra alta de 0,47% em junho, em 12 meses IPCA-15 subiu 6,51% e ficou acima do teto da meta do governo, de 6,50%

Yolanda Fordelone, Economia&Negócios

22 de julho de 2014 | 09h01

Com a ajuda de transporte e dos alimentos, a inflação prévia de julho desacelerou, registrando alta de 0,17% no mês contra avanço de 0,47% em junho. Apesar disso, no acumulado de 12 meses o Índice de Preços ao Consumidor Amplo - 15 (IPCA-15) subiu 6,51%, porcentual acima do teto da meta do governo, de 6,50%.

Analistas ouvidos pela Agência Estado esperavam que o IPCA-15 ficasse entre 0,10% e 0,36%. A alta de 0,17% ficou abaixo da mediana de 0,20% estimada por eles. Para parte do mercado, a desaceleração da inflação mostra que a decisão do Copom de manter a taxa Selic inalterada foi correta.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que divulgou o índice, o IPCA-15 acumula taxa de 4,17% no ano. O IPCA-15 apura a variação de preços entre o dia 15 do mês anterior ao de divulgação e o dia 15 do mês de divulgação. Serve de referência para a inflação do mês completo, divulgada pelo IPCA.

Segundo o IBGE, os preços de Transporte caíram 0,85% em julho. O grupo foi o principal responsável pela desaceleração do IPCA-15 no mês, com um impacto de -0,16 ponto no índice final. Alimentação e Bebidas teve deflação (queda dos preços) de 0,03%, tendo tido um impacto no índice final de -0,01 ponto. Entre os produtos que ficaram mais baratos estão batata-inglesa (-13,23%), tomate (-11,63%), feijão-fradinho (-8,04%), cenoura (-7,67%), feijão-carioca (-7,44%), cebola (-6,36%), hortaliças (-5,33%), feijão-preto (-5,32%) e farinha de mandioca (-4,60%).

Efeito Copa. A pesquisa de julho do IPCA-15 captou a variação de alguns itens fortemente impactados pela Copa do Mundo, que se encerrou no dia 13. Esse foi o caso das atividades ligadas ao turismo. A alta das diárias de hotéis exerceu o principal impacto no IPCA-15, de 0,013 pontos. As diárias subiram 28,63% em julho.

Segundo o IBGE, Fortaleza se destacou pelo aumento de 57,95% nos valores das diárias, seguida de Brasília (45,74%). Com isso, o grupo Despesas Pessoais subiu 1,74%, ante uma alta de 1,09% em junho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.