Mark Schiefelbein/Associated Press
Mark Schiefelbein/Associated Press

Prévia da inflação fica em 0,58% em outubro, maior para o mês desde 2015

Em setembro, Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) havia avançado 0,09%

Daniela Amorim, O Estado de S.Paulo

23 de outubro de 2018 | 09h12

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - 15 (IPCA-15) registrou alta de 0,58% em outubro, após ter avançado 0,09% em setembro, informou nesta terça-feira, 23, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A alta registrada em outubro foi a mais alta para o mês desde 2015, quando houve inflação de 0,66%, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O resultado ficou dentro das estimativas dos analistas do mercado financeiro consultados pelo Projeções Broadcast, que esperavam uma alta entre 0,40% e 0,68%. O dado ficou abaixo da mediana positiva de 0,63%.

Com o resultado, o IPCA-15 acumulou um aumento de 3,83% no ano. Nos 12 meses encerrados em outubro, o indicador ficou em 4,53%. As projeções iam de avanço de 4,33% a 4,63%, com mediana de 4,58%.O aumento nos combustíveis pressionou as despesas com transportes na inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - 15 (IPCA-15) em outubro.

Transportes puxam alta do índice

Os custos dos Transportes saíram de um avanço de 0,21% em setembro para elevação de 1,65% em outubro. Após a queda de 0,19% registrada em setembro, os combustíveis aumentaram 4,74% em outubro. O litro da gasolina subiu 4,57% este mês, item de maior impacto individual da inflação, com uma contribuição de 0,21 ponto porcentual. O litro do etanol ficou 6,02% mais caro no mês, enquanto o óleo diesel aumentou 5,71%.

O grupo Transportes respondeu por mais da metade do IPCA-15 de outubro, um impacto de 0,30 ponto porcentual sobre a inflação. Os gastos das famílias com Transportes e Alimentação e Bebidas (com alta de 0,44% nos preços e contribuição de 0,11 ponto porcentual) foram responsáveis por cerca de 70% do IPCA-15 de outubro.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.