Helvio Romero/Estadão
Helvio Romero/Estadão

Prévia da inflação, IPCA-15 sobe 0,34% em fevereiro, menor valor para o mês desde 2000

Alta para o mês de fevereiro repete a registrada no ano de 2000, e é a menor já registrada desde a criação do Plano Real, em 1994

Daniela Amorim, O Estado de S.Paulo

21 de fevereiro de 2019 | 10h07

A prévia da inflação oficial do País, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - 15 (IPCA-15), registrou alta de 0,34% em fevereiro, após ter avançado 0,30% em janeiro, informou nesta quinta-feira, 21, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A elevação é a mais baixa para o mês desde o ano 2000, quando também ficou em 0,34%, repetindo assim o menor patamar registrado para meses de fevereiro desde a implantação do Plano Real, em 1994.

O resultado ficou levemente abaixo da mediana das estimativas dos analistas do mercado financeiro consultados pelo Projeções Broadcast, calculada em 0,35%, e dentro do intervalo das previsões, de 0,22% a 0,48%.

Com o resultado, o IPCA-15 acumula um aumento de 0,64% no ano. Nos 12 meses encerrados em fevereiro, o indicador arrefeceu de 3,77% para 3,73%, abaixo da meta de 4,25%, perseguida pelo Banco Central. As projeções iam de avanço de 3,64% a 3,87%, com mediana de 3,75%.

Gastos com educação puxam índice

Os reajustes das mensalidades escolares elevaram em 3,52% os gastos das famílias brasileiras com educação em fevereiro, segundo os dados do IPCA-15 divulgados nesta quinta-feira, 21, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O grupo foi o de maior pressão para a inflação do mês, uma contribuição de 0,17 ponto porcentual.

As mensalidades dos cursos regulares subiram 4,60%, item responsável pelo maior impacto individual no IPCA-15 do mês, o equivalente a 0,15 ponto porcentual. Os cursos diversos aumentaram, em média, 3,16%, com reajustes entre 1,56% em Brasília e 4,03% na região metropolitana de Curitiba.

Energia Elétrica

As despesas com energia elétrica também pesaram no bolso dos consumidores. A conta de luz voltou a subir em fevereiro, após quatro meses seguidos de recuo, segundo o IBGE.

A energia elétrica aumentou 0,38% este mês. Entre as regiões pesquisadas, as variações foram desde uma queda de 0,99% em Curitiba até a alta de 3,16% em Fortaleza. Desde dezembro, permanece em vigor a bandeira tarifária verde, em que não há cobrança adicional na conta de luz, lembrou o IBGE.

O grupo Habitação passou de elevação de 0,08% em janeiro para 0,18% em fevereiro. O gás encanado ficou 3,91% mais caro, devido a reajustes no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.