Prévia da inflação oficial desacelera para 0,55% em março

Educação, álcool combustível e tarifa do ônibus urbano contribuem para resultado

Jacqueline Farid, da Agência Estado,

23 de março de 2010 | 09h05

A inflação medida pelo IPCA-15 ficou em 0,55% em março, ante 0,94% em fevereiro, segundo divulgou nesta terça-feira o IBGE. O resultado veio dentro do intervalo das estimativas dos analistas ouvidos pelo AE Projeções (0,50% a 0,63%), e exatamente igual à mediana das expectativas, de 0,55%. No ano, o IPCA-15 acumula alta de 2,02% e em 12 meses, de 5,09%.

 

O grupo dos alimentos prosseguiu em trajetória de aceleração nos reajustes de preços no IPCA-15 de março, com aumento de 1,22%, ante 0,98% em fevereiro. Os principais destaques de alta nesse grupo ficaram com o tomate (26,50%), açúcar refinado (10,26%), açúcar cristal (8,06%), hortaliças (7,67%), leite pasteurizado (5,27%) e frutas (3,40%).

 

Por outro lado, o grupo educação, principal pressão no IPCA-15 de fevereiro, desacelerou os reajustes para 0,55% em março, ante 4,55% no mês anterior, resultando na principal contribuição para a redução da taxa de um mês para o outro. A alta nesse grupo em março reflete exclusivamente os reajustes ocorridos em Fortaleza.

 

Houve perda de ritmo também nos reajustes dos combustíveis, que passaram de 1,94%, em fevereiro, para -0,26% em março. O álcool combustível apresentou queda de 0,97% em março, ante alta de 8,86% do mês anterior, enquanto a gasolina, de 1,34% em fevereiro, passou para -0,20% em março.

 

Ainda como contribuição para a redução do IPCA-15, figuram os ônibus urbanos, cuja variação passou de 3,84%, em fevereiro, para 1,70% em março. Todas essas desacelerações no ritmo de reajustes levaram o grupo dos não alimentícios a registrar alta de 0,35% em março, bem inferior à variação de 0,93% em fevereiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.