Prévia do IGP-M indica deflação de 0,16%

A primeira prévia da inflação de fevereiro medida pelo Índice Geral de Preços de Mercado (IGP-M) registrou deflação de 0,16%, influência direta da queda dos preços agrícolas no atacado. Para o chefe do Centro de Estudos de Preços da FundaçãoGetúlio Vargas, Paulo Sidney de Melo Cota, a tendência é de que a medição integral do mês de fevereiro também apresente deflação, entre 0,20% e 0,30%.Caso a previsão se confirme, será a primeira taxa negativa desde maio de 1999, quando o IGP-Mficou em -0,29%, resultado de uma queda pontual do dólar, depois da desvalorização de janeiro daquele ano.Mas, segundo Cota, ainda é muito cedo para comemorar este resultado como uma trajetória de queda da inflação. Os preços ao consumidor, queservem de lastro para a estratégia do governo na formulação da política de juros, continuam em alta e não há indicação que esta pressão ceda nos próximos meses.IPC ainda em altaNa primeira prévia de fevereiro, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) subiu 0,36% e, naavaliação do economista, deve fechar o mês ainda em alta, entre 0,40% e 0,50%. ?Por ora não há ainda tendência de queda da inflação. Temos de acompanhar com cuidado o comportamento do IPC e também do núcleo da inflação?, lembrou Cota.Os três índices que compõem o IGP-M registraram as seguintes variações: IPA (-0,48%); IPC (+0,36%); INCC (+0,03%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.