Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

'Prévia' do PIB do BC mostra queda de 0,4% em outubro, a 4ª seguida

Resultado do IBC-Br vem em linha com o desempenho ruim dos setores da economia no mesmo mês; no ano, o indicador acumula alta de 4,99% 

Thaís Barcellos, O Estado de S.Paulo

15 de dezembro de 2021 | 10h05
Atualizado 15 de dezembro de 2021 | 10h36

BRASÍLIA - A atividade econômica brasileira apresentou o quarto mês consecutivo de queda em outubro. O Banco Central informou nesta quarta-feira, 15, que seu Índice de Atividade (IBC-Br) caiu 0,40% em outubro ante setembro, na série já livre de influências sazonais (uma espécie de compensação para comparar meses diferentes).

Em outubro, os dados setoriais divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) tiveram nova rodada de deterioração. O desempenho da indústria (-0,60%), do varejo ampliado (-0,90%) e dos serviços prestados (-1,20%) ficou, mais uma vez, aquém das expectativas do mercado financeiro. 

De setembro para outubro, o índice de atividade calculado pelo BC passou de 137,42 pontos para 136,87 pontos na série dessazonalizada. Esse é o menor patamar desde setembro do ano passado, quando estava em 135,95 pontos. Naquele momento, a economia brasileira estava se acelerando com a reabertura de negócios depois de meses de restrições de mobilidade.

A queda de 0,40% do IBC-Br coincidiu com a maioria das expectativas dos analistas do mercado financeiro consultados pelo Projeções Broadcast - o intervalo das estimativas ia de recuo de 0,80% à estabilidade.

Na comparação entre os meses de outubro de 2021 e de 2020, houve retração de 1,48% na série sem ajustes sazonais, que registrou 137,78 pontos no décimo mês deste ano, o pior desempenho para o período desde 2017 (135,99 pontos).

Conhecido como uma “prévia do BC para o PIB”, o IBC-Br serve mais como parâmetro para avaliar o ritmo da economia brasileira ao longo dos meses. A projeção atual do BC para a atividade doméstica em 2021 é de crescimento de 4,7%, segundo o Relatório Trimestral de Inflação (RTI) de setembro. O próximo RTI será divulgado na quinta-feira, 16.

No Relatório de Mercado Focus divulgado pelo BC esta semana, a projeção doa analistas do mercado é de crescimento de 4,65% do PIB em 2021.

No ano

Apesar da deterioração recente, o indicador acumulou alta de 4,99% em 2021 até outubro, segundo o BC. O porcentual diz respeito à série sem ajustes sazonais. Pela mesma série, o IBC-Br apresenta aumento de 4,19% nos 12 meses encerrados em outubro.

O índice subiu 1,06% no acumulado do trimestre de agosto a outubro ante o mesmo período do ano passado, na série sem ajuste.

Por outro lado, o BC informou que o IBC-Br registrou queda de 0,94% no acumulado do trimestre de agosto até outubro na comparação com os três meses anteriores (maio a julho), pela série ajustada sazonalmente. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.