Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Prévia do PIB mostra que atividade econômica cresceu 1,15% em 2018

Ritmo é mais lento do que previam os analistas do mercado financeiro que estimavam, na pior das hipóteses, crescimento de 1,2%

Fabrício de Castro, O Estado de S.Paulo

15 de fevereiro de 2019 | 10h02

BRASÍLIA - A atividade econômica no Brasil avançou pelo segundo ano consecutivo, mas num ritmo mais lento do que previam os analistas do mercado financeiro. O Banco Central informou nesta sexta-feira, 15, que seu Índice de Atividade (IBC-Br) acumulou alta de 1,15% em 2018 e encerrou o ano aos 136,27 pontos, conforme a série sem ajustes sazonais.

A alta do IBC-Br em 2018 foi menor que a estimativa mais pessimista dos analistas entrevistados pelo Projeções Broadcast . O resultado veio abaixo do piso do intervalo das previsões, que ia de +1,2% a +1,7%, com mediana de +1,30%.

Considerado uma espécie de "prévia do BC para o PIB", o IBC-Br serve como parâmetro para avaliar o ritmo da economia brasileira ao longo dos meses. Em 2017, o indicador já havia avançado, após período de retração da atividade que coincidiu com os anos de recessão econômica. A projeção do BC para o PIB em 2018 é de avanço de 1,3%. O dado fechado do PIB será divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no dia 28 de fevereiro.

 

 

Os dados desta sexta-feira, 15, do BC mostraram ainda que o IBC-Br registrou alta de 0,20% no quarto trimestre de 2018, na comparação com o terceiro trimestre. Neste caso, o avanço diz respeito à série com ajustes sazonais.

O IBC-Br acumulou ainda alta de 1,53% no quarto trimestre de 2018 ante o mesmo período de 2017, pela série sem ajustes sazonais.

 

 

 

Dezembro

Após avançar 0,23% em novembro (dado revisado), a economia brasileira apresentou nova alta em dezembro de 2018. O IBC-Br avançou 0,21% em dezembro ante novembro, na série com ajuste sazonal.

O índice de atividade calculado pelo BC passou de 138,43 pontos para 138,72 pontos na série dessazonalizada no período. Este é o maior patamar para o IBC-Br com ajuste desde outubro de 2015 (138,97 pontos).

A alta do IBC-Br em dezembro ficou dentro do intervalo projetado pelos analistas do mercado financeiro consultados pelo Broadcast Projeções, que esperavam resultado entre -0,40% e +0,50% (mediana em -0,04%).

Na comparação entre os meses de dezembro de 2018 e dezembro de 2017, houve alta de 0,18% na série sem ajustes sazonais. Esta série encerrou com o IBC-Br em 136,27 pontos em dezembro, ante 136,02 pontos de dezembro de 2017.

O indicador de dezembro de 2018 ante o mesmo mês de 2017 mostrou desempenho acima do apontado pela mediana (-0,05%) das previsões de analistas do mercado financeiro ouvidos pelo Broadcast Projeções (-0,80% a +1,41% de intervalo).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.