bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Previdência complementar: Caixa lança VGBL

A Caixa Econômica Federal lança na próxima segunda-feira em sua rede de agências o produto Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL), que é uma previdência complementar para quem utiliza declaração simplificada ou está isento de Imposto de Renda. A carência para resgate do produto é de 12 meses. O Viver é um plano na modalidade VGLB que permite ao investidor acumular recursos a médio e longo prazos, com valor mínimo de contribuição de R$ 50,00.O produto lançado pela Caixa terá como diferenciais a possibilidade de o aplicador escolher a carteira de investimento em três opções: tradicional (aplicações só em renda física), moderado (com 15% de renda variável e o restante em renda fixa) e dinâmico (com 30% em renda variável e o restante em renda física).O diretor executivo de produtos Caixa Vida & Previdência, Edmilson Gama, afirmou que o investidor pode escolher também um programa de aplicação mínima mensal de R$ 50,00, um semestral de pagamento de R$ 200,00 ou um anual no valor de R$ 400,00. Os aportes adicionais são permitidos, mas com valor mínimo de R$ 1 mil. Segundo ele, é autorizada ainda a contratação de um seguro de vida associado ao plano de previdência aberta.O executivo observa que a Caixa oferece aos clientes o Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) para quem pretende se beneficiar da possibilidade de diferir no Imposto de Renda uma dedução de depósitos até 12% da base de cálculo. O PGBL paga IR progressivo sobre todo o valor na saída (resgate ou benefício). Já o VGBL é mais adequado para quem utiliza declaração simplificada ou está isento de IR. Gama afirmou que a Caixa colocará à disposição dos clientes simulações em todas os terminais de suas agências. Ele exemplificou que uma pessoa com 30 anos, interessada em associar o seu plano seguro de vida de R$ 50 mil, pagará R$ 50,00 por mês de contribuição mais R$ 12,65 de seguro.Segundo Gama, o investidor poderá ter um valor acumulado de R$ 81.701,42 ao completar 60 anos, tomando por base uma expectativa de rentabilidade estimada de 9% ao ano. Caso o investidor venha a falecer antes da idade firmada com a Caixa, os seus beneficiários receberão o seguro de vida, além de todo o valor que estiver depositado no fundo.Entre as vantagens do Viver, segundo Gama, estão proteção da família com seguro de vida, acumulação de recursos para o futuro, liberdade de contratação do plano de acordo com as necessidades, possibilidade de realizar contribuições adicionais, a rentabilidade é repassada integralmente, o Imposto de Renda incide somente sobre a rentabilidade do fundo e a possibilidade de transformar os recursos acumulados em renda mensal. A restrição é que o resgate, parcial ou total, ocorre após o período de carência de 12 meses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.