Previdência privada cresce 34,9% em outubro

O volume de contribuições nos planos de previdência privada no mercado brasileiro voltou a crescer e bateu a marca de R$ 2,448 bilhões em outubro de 2007. O dado corresponde a um crescimento de 34,9% ante outubro do ano passado, quando o mercado captou R$1,815 bilhão. As informações constam do balanço da Federação Nacional de Previdência Privada e Vida (Fenaprevi).O VGBL, plano indicado para o investidor que não declara imposto pelo formulário completo, continua liderando com o melhor desempenho do setor. Em outubro deste ano o produto captou R$ 1,8 bilhão, aumento de 49% em relação ao período equivalente de 2006. O PGBL, por sua vez, apresentou ligeira queda de 2% no período, com o registro de contribuições de R$ 350,4 milhões ante R$ 357,5 milhões em outubro do ano passado.Já os planos tradicionais (que garantem rendimento do IGP-M mais taxa de juros de 6%) verificaram avanço de 14,91% no volume de captação, com R$ 243,2 milhões ante R$ 211,6 milhões em outubro de 2006. Os outros produtos de previdência (FAPI, PRGP e VGRP) responderam pela captação R$ 2,027 milhões, um declínio de 6,11% em relação ao mesmo mês do ano anterior, quando a arrecadação foi de R$ 2,159 milhões.No acumulado do ano, de janeiro a outubro, o mercado de previdência privada somou R$ 21,4 bilhões em captação, um crescimento de 24,32% em relação ao mesmo período de 2006, quando atingiu R$ 17,2 bilhões.Tipos de planoOs planos de previdência para as crianças se destacaram no acumulado do ano e foi a modalidade que mais cresceu no mês de outubro, período em que se comemora o Dia das Crianças. Os dados da Fenaprevi mostram que entre janeiro e outubro os planos para menores cresceram 68,56%, consolidando captação de R$ 1,472 bilhão ante os R$ 873,3 milhões no mesmo período de 2006.RankingA Bradesco Vida e Previdência liderou o ranking de captação em outubro, com 36,58% do total. E foi seguida por Itaú (16,79%), Brasilprev (14,43%), Unibanco (6%), Caixa Vida e Previdência (5,20%), HSBC (4,52%), Real Tokio Marine (4,40%), Santander (3,88%) Safra Seguros (2,75%), Icatu (0,93%) e demais empresas (4,52%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.