Previdência privada defende teto de 10 salários para aposentadoria

Universalizar o sistema previdenciário e aplicar um teto de 10 salários de referência devem ser os principais focos da reforma do setor, defendeu hoje o presidente da Associação Nacional das Empresas de Previdência Privada (Anapp), Osvaldo do Nascimento, em entrevista à Agência Estado. "A universalização é importante porque não discrimina e, de uma certa forma, respeita todos os cidadãos, conforme prevê a Constituição", afirmou.Segundo ele, "a contribuição dos servidores públicos e dos trabalhadores do setor privado é diferente e essa é uma das fontes geradoras do rombo da Previdência". Outro ponto relevante para o presidente da Anapp é a existência de um teto de recebimento. "A Previdência não tem como objetivo manter o padrão de vida que o cidadão tinha durante o período em que do trabalhava, mas garantir que o cidadão não viva na miséria", disse. Segundo Nascimento, o número estatisticamente ideal para o teto é de 10 salários de referência. "A PEA (População Economicamente Ativa) do Brasil é de mais 60 milhões e, desse total, mais de 94% ganham abaixo de 10 salários de referência. Os 10 salários são adequados porque cobrem esse percentual", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.