Previdência privada volta a captar em março

Levantamento produzido pela Associação Nacional da Previdência Privada (Anapp) revela que o volume de novas contribuições no sistema de previdência complementar voltou a crescer em março, alcançando a marca de R$ 1,372 bilhão, patamar 30% superior ao R$ 1,055 bilhão verificado em fevereiro.No conjunto do trimestre, entretanto, os novos depósitos somaram R$ 3,9 bilhões, consolidando retração de 11,1% na comparação com os R$ 4,4 bilhões arrecadados no mesmo período do ano anterior.?O crescimento registrado em março sinaliza a tendência de retomada, que deve ganhar impulso nos próximos meses?, diz Osvaldo do Nascimento, presidente da Anapp e diretor da Itaú Vida e Previdência.Segundo o executivo, o resultado do trimestre teve relação direta com o período de adaptação pelo qual passou o investidor de previdência quanto às mudanças na legislação tributária. Nascimento destacou que as mudanças começaram a ser absorvidas pelo público, mas ainda é necessário um tempo maior para que as seguradoras consigam comunicar de forma eficiente todas as alterações.Captação por produtoNo primeiro trimestre, o Vida Gerador de Benefícios Livres (VGBL) - produto de previdência que não possui o benefício fiscal - apresentou retração de 17% em sua captação, na comparação com o mesmo período do ano anterior - de R$ 2,331 bilhões para R$ 1,933 bilhão. Já o Plano Gerador de Benefícios Livres (PGBL) - produto que permite deduzir até 12% ds renda tributável do contribuinte - registrou variação negativa de 13% em sua captação no mesmo período, caindo de R$ 1,156 bilhão para R$ 1,001 bilhão. No período, os planos tradicionais apresentaram alta de 6% na captação, de R$ 930,51 milhões para R$ 994,41 milhões.Especificamente no mês de março, o VGBL registrou um volume de captação da ordem de R$ 759,8 milhões, apresentando uma ligeira queda de 3,4% em relação ao mesmo período de 2004, quando captou R$ 786,2 milhões. Já o PGBL teve uma captação de R$ 331,8 milhões contra R$ 342,5 milhões, o que resultou em retração de 3,1% em relação ao mesmo período de 2004. Em março, os planos tradicionais captaram R$ 277,8 milhões contra R$ 292,9 milhões verificados no mesmo período do ano anterior (retração de 5,2%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.