Previsão de crescimento do crédito em bancos públicos sobe de 21% para 24%

Banco Central mantém, no entanto, previsão de expansão de 10% no ano para as instituições financeiras privadas nacionais e de 13% para as privadas estrangeiras

Célia Froufe e Eduardo Cucolo, da Agência Estado,

26 de setembro de 2012 | 12h56

BRASÍLIA - O Banco Central ampliou nesta quarta-feira, 26, a estimativa de expansão do crédito para os bancos oficiais, mas manteve as projeções já consideradas para as instituições financeiras do setor privado. De acordo com o chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Tulio Maciel, a projeção para o crescimento dos empréstimos dos bancos públicos passou de 21% para 24% em 2012. Já para os bancos privados nacionais, foi mantida a previsão de expansão de 10% no ano e, para os privados estrangeiros, em 13%.

"Observamos nos últimos meses a expansão mais expressiva dos bancos públicos em relação aos privados", comentou. Perguntado sobre se a diferença da expectativa de expansão para esses segmentos de até 14 pontos porcentuais seria algo saudável para a economia, o chefe de departamento se limitou a dizer que os diferentes patamares de crescimento refletem a postura dos bancos diante da conjuntura. "Os públicos têm sido mais atuantes do que os privados", resumiu.

Apesar disso, segundo Maciel, a inadimplência constatada nos bancos oficiais se mostra inferior à das instituições financeiras privadas. Isso pode ser explicado, de acordo com ele, pelo perfil desses bancos, que são mais atuantes em financiamentos consignados e imobiliários, tradicionalmente com menor taxa de calote.

O chefe do Departamento Econômico do Banco Central comentou também que as novas projeções levam em conta o que foi visto até agora. Entre outros parâmetros, ele salientou que, em 12 meses encerrados em agosto, os bancos públicos já registram um crescimento de 26%, enquanto os privados, de 8%. Dessa forma, as estimativas da autoridade monetária evidenciam que, ainda que distantes, devem mostrar trajetória de convergência. 

Tudo o que sabemos sobre:
créditobancos públicos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.