coluna

Carolina Bartunek: ESG, o que eu tenho a ver com isso?

Previsão de déficit nos EUA sobe a US$ 1,8 tri este ano

O Escritório de Orçamento do Congresso (CBO, na sigla em inglês) dos Estados Unidos rebaixou de forma significativa sua previsão para a posição fiscal do governo federal, lançando mais notícias negativas para o presidente Barack Obama enquanto ele tenta obter apoio para seu projeto de orçamento de US$ 3,55 trilhões para o ano fiscal 2010.

SUZI KATZUMATA, Agencia Estado

20 de março de 2009 | 17h12

O CBO disse que agora espera que o déficit orçamentário alcance US$ 1,8 trilhão no atual ano fiscal, que se encerra em setembro, de uma estimativa de US$ 1,2 trilhão feita há dois meses. Com relação ao ano fiscal 2010, o CBO disse que o déficit orçamentário do governo federal vai dobrar para US$ 1,4 trilhão, de US$ 700 bilhões que eram estimados em janeiro.

Quanto ao projeto de orçamento do presidente, o CBO disse que ele vai acrescentar US$ 4,8 trilhões para a linha de base do déficit previsto para ao longo da próxima década. Com os republicanos e mesmo alguns democratas no Congresso já questionando os ambiciosos planos de gastos de Obama, a revisão do CBO pode dificultar a aprovação do projeto de orçamento no Congresso.

O único ponto positivo das previsões revisadas do CBO é a expectativa de que a recessão vai acabar no final do ano, em virtude do impacto do plano de estímulo econômico e esforços agressivos do Tesouro e do Federal Reserve (Fed, banco central americano) para estabilizar os mercados financeiros.

O CBO prevê que o PIB dos EUA vai contrair 1,5% no ano fiscal 2009, antes de se recuperar de forma acentuada para um crescimento de 4,1% em 2010 e 2011. A taxa de desemprego, que vem subindo de forma acentuada no último ano, vai atingir a máxima de 9,4% no final de 2009 ou início do próximo ano, disse o CBO. O órgão espera que a taxa permaneça acima de 7% até 2011. A taxa de desemprego está atualmente em 8,1%.

As novas desanimadoras previsões do CBO refletem a recente deterioração na perspectiva econômica e fiscal, mas não vão impedir o presidente Barack Obama de executar suas ambiciosas metas orçamentárias, disse o diretor de orçamento da Casa Branca, Peter Orszag, em uma rápida entrevista momentos antes do CBO divulgar suas projeções revisadas.

O CBO projeta um déficit acumulado ao longo dos próximos 10 anos de US$ 9,3 trilhões, contra uma projeção de US$ 7 trilhões da Casa Branca.Orszag relacionou diferenças entre a Casa Branca e o CBO nas suposições técnicas e econômicas das projeções. "Existe uma imensa quantidade de incertezas ao redor das projeções de déficits orçamentários", disse Orszag.

Apesar das projeções sombrias, "continuamos confiantes de que os quatro princípios que o presidente (Obama) propôs para o orçamento - em particular, que se deve investir em cuidados com saúde, educação, energia limpa e reduzir o déficit pela metade ao final do seu primeiro mandato - serão todos executados quando as resoluções passarem pelos comitês na próxima semana", disse Orszag. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
OrçamentoEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.