Previsão de frio nos EUA sustenta preços do suco de laranja

Cenário: Paula Moura

O Estado de S.Paulo

22 de novembro de 2012 | 02h09

Os preços futuros do suco de laranja continuam sustentados pelo clima. Ontem, voltaram a subir na Bolsa de Nova York depois que o Centro de Previsão Climática dos Estados Unidos informou que as temperaturas seguirão baixas no Estado da Flórida, maior produtor de laranja do país, entre o fim de novembro e o início de dezembro. Ainda que seja difícil prever geadas, esse risco não está descartado, e o receio de possíveis danos aos pomares estimulou compra de contratos da commodity. O vencimento janeiro do suco de laranja fechou em alta de 2,79%, a 125,40 centavos de dólar por libra-peso, maior nível em dois meses.

Na mesma bolsa, o açúcar caiu 1,31%. Depois da alta de mais de 4% na terça-feira, os investidores vêm embolsando lucros. Além disso, a perspectiva de grande excedente global continua a pesar sobre as cotações. Ontem, o banco Société Générale elevou sua projeção para o superávit mundial do produto a 5,8 milhões de toneladas no ciclo 2012/13. Também subiram cacau (1%), café (0,66%) e algodão (0,23%).

Na Bolsa de Chicago, o giro de negócios foi baixo na véspera do feriado de Ação de Graças, comemorado hoje nos Estados Unidos. O milho recuou 0,27%, pressionado pela produção menor de etanol feito com o cereal nos EUA na última semana. A queda de 1,6%, para 811 mil barris por dia, sinaliza enfraquecimento da demanda. A soja cedeu 0,32%, com vendas baseadas em interpretações gráficas. O trigo também caiu (0,09%), com interesse fraco por exportações norte-americanas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.