Previsão de inflação se distancia da meta, em 3,81%

Cada vez mais otimista, o mercado previu, nesta segunda-feira, que a inflação no País, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) encerra o ano ainda mais abaixo de 4%, aos 3,81%. Com a mudança, a expectativa ficou ainda mais distante da meta central de 4,5%, estipulada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). Ao mesmo passo, também caíram as projeções para o dólar no final do ano, de R$ 2,24 para R$ 2,23. O levantamento faz parte da pesquisa Focus, realizada semanalmente pelo Banco Central. Para 2007, as projeções de inflação continuaram estáveis em 4,50% pela 47ª semana seguida - porcentual exatamente no centro da meta, já definida para o ano que vem. Para julho, a expectativa do mercado é que a inflação fique em 0,30%. Há quatro semanas essas previsões estavam em 0,35%. Para agosto, as expectativas de IPCA prosseguiram em 0,35% pela sexta semana seguida. Câmbio Para o fim deste mês, as estimativas de câmbio ficaram estáveis em R$ 2,20 - exatamente o mesmo total das previsões realizadas há quatro semanas. Para o final de agosto próximo, as projeções de câmbio seguiram inalteradas em R$ 2,20 pela quinta semana consecutiva. Ainda, segundo o mercado, no fim de 2007 o dólar deve valer R$ 2,35.Selic O mercado ainda manteve a previsão de que a próxima reunião do Comitê de Política Monetária, a ser realizada na próxima semana, resultará em um corte de 0,50 ponto porcentual da taxa básica de juros, a Selic (atualmente em 15,25% ao ano). Com isso, a taxa passará para 14,75% anuais. Para agosto próximo, as estimativas prosseguiram em 14,50% pela 10º semana consecutiva - o que deve gerar um corte de 0,25 ponto porcentual. Para o fim de 2007, as projeções de juros continuaram estáveis em 13% pela 16º semana seguida. Investimento estrangeiroAs projeções de mercado para o fluxo de investimento estrangeiro direto (IED) neste ano caíram de US$ 15,45 bilhões para US$ 15 bilhões. Há quatro semanas, estas previsões estavam em US$ 15,50 bilhões. Para 2007, as estimativas de fluxo de IED continuaram estáveis em US$ 16 bilhões pela terceira semana seguida. Há quatro semanas, estas projeções estavam em US$ 16,40 bilhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.