Previsão para 2010 chega a 4,8%

Para a Tendências, ritmo da recuperação surpreende

, O Estadao de S.Paulo

06 de setembro de 2009 | 00h00

A recuperação acelerada da economia em 2009 abre espaço para um crescimento forte no ano que vem. "A princípio, 2010 já abriria com um carry-over (o que é repassado do crescimento de um ano para o outro) de 1,3%, o que não é garantia de crescimento para o ano, mas, dadas as condições positivas da economia esperadas para o período, 4% de expansão do PIB (Produto Interno Bruto) estariam praticamente garantidos", diz o economista-chefe da MB Associados, Sergio Vale.

A Tendências elevou suas projeções para o ano que vem, com base nos últimos números da economia. Agora, a consultoria já projeta alta de 4,8%, sendo dois pontos porcentuais decorrentes de efeito estatístico.

Para Bráulio Borges, economista-chefe da LCA Consultores, o PIB cresce neste terceiro trimestre a um ritmo de 3% em relação ao período anterior. "Isso mostra que economia vai entrar embalada em 2010."

Borges avalia que o processo de recuperação já se espraia pela economia. "Se antes era nítido no consumo, agora vai ficar claro que a recuperação alcançou grande parte dos setores da economia", afirma Borges. "Até o exportador, que já começa a observar melhorias na quantidade de produtos exportados, deve ficar mais feliz."

O presidente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), Marcio Pochmann, prevê a retomada dos investimentos nos próximos meses. "O crescimento imaginado para este ano esta fortemente influenciado pela ocupação da capacidade ociosa que a crise provocou nas fábricas", diz. " Possivelmente a partir do fim do ano, além de crescer pelo lado da ocupação da capacidade ociosa, também haverá uma retomada dos investimentos."

Ele nota que a crise reduziu a produção, interrompendo a expansão dos investimentos. "O que ocorreu no fim do ano passado não foi o abandono de projetos de investimento, mas postergação."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.