finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Previsões do mercado para PIB e inflação em 2014 têm leve alta

No Relatório Focus, do Banco Central, analistas estimam que a economia crescerá 0,21% este ano; estimativa para a inflação também subiu, de 6,39% para 6,40%

Renata Veríssimo, O Estado de S. Paulo

17 de novembro de 2014 | 09h04

SÃO PAULO - As previsões para o Produto Interno Bruto (PIB) de 2014 tiveram uma leve melhora no Relatório de Mercado Focus, divulgado nesta segunda-feira, 17, pelo Banco Central. Pelo documento, a economia brasileira crescerá 0,21% este ano ante previsão de 0,20% da semana passada e de 0,27% vista um mês atrás.

Os economistas consultados pela pesquisa Focus continuam a acreditar em alguma retomada da atividade no ano que vem e mantiveram a previsão de crescimento para 2015 em 0,80%. Quatro semanas antes, no entanto, a estimativa de crescimento para o próximo ano estava em 1,00%.

Dados do Índice de Atividade Econômica (IBC-Br) divulgados hoje apontam que a economia do País deve crescer 0,59% no terceiro trimestre, acima da expectativa consolidada no Relatório Focus. Também otimistas, Banco Central e Ministério da Fazenda preveem crescimento maior do que o mercado estima para 2014. De acordo com o último Relatório Trimestral de Inflação (RTI) do BC, o PIB deve ter alta de 0,7% este ano. Pelos cálculos da Fazenda, a expansão será de 0,9%.  

Contas públicas. Os analistas ajustaram suas estimativas para o indicador que mede a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB em 2014. A pesquisa Focus de hoje aponta que a mediana da semana passada, de 35,20%, foi alterada para 35,80%. Um mês antes estava em 35,10%. Já o ponto central da pesquisa para a relação em 2015 passou de 35,90% do levantamento para 36,00% agora. Quatro semanas antes, porém, estava em 35,75%.

Inflação. Depois de ajustes para baixo nas previsões para a inflação na semana passada, o relatório trouxe revisões para cima. A projeção para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 2014 subiu de 6,39% para 6,40%. Para 2015, a previsão de analistas do mercado consultados pela pesquisa continua em 6,40%. 

Juros. Com a digestão da alta de 0,25 ponto porcentual da Selic na última reunião do Copom, para 11,25% ao ano, a mediana das estimativas para a taxa básica de juros no fim de 2014 continuou em 11,50%, mesmo patamar da semana passada. Com isso, a taxa básica de juros para este ano também segue em 11,00% ao ano. Há um mês, a taxa fechada para 2014 estava em 11,00% na Focus, enquanto a média de 2014 estava em 10,91% ao ano. 

Para o final do ano que vem, a mediana das projeções seguiu em 12,00%, mesmo patamar da semana passada, mas maior do que a taxa de 11,88% projetada pelos participantes da pesquisa para o final de 2015 há quatro semanas. A Selic média de 2015 também segue em 11,97% ao ano. Quatro semanas atrás estava em 11,69%.

Câmbio. O mercado financeiro alterou novamente todos os campos do relatório de mercado Focus para o dólar. A mediana para o fim de dezembro de 2014 passou de R$ 2,50 para R$ 2,53 - há um mês, estava em R$ 2,40. Já para 2015, a cotação subiu de R$ 2,60 para R$ 2,61 de uma semana para outra - um mês antes estava em R$ 2,50.

Tudo o que sabemos sobre:
FocusPIBinflação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.