Grupo Mateus/Divulgação
Grupo Mateus/Divulgação

Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Primeira empresa do Maranhão na Bolsa, Grupo Mateus estreia com alta de 3%

Rede de atacarejo captou R$ 4,6 bilhões no IPO, a maior abertura de capital no ano na B3 até agora

Fernanda Guimarães, O Estado de S.Paulo

13 de outubro de 2020 | 11h26

O varejista nordestino Grupo Mateus, um dos maiores atacarejos do País, seguiu atraindo investidores na sua estreia nesta terça-feira, 13, na B3 e inaugurou a ação no pregão com alta de mais de 3%. A companhia concluiu sua oferta inicial de ação (IPO, na sigla em inglês) de R$ 4,6 bilhões na semana passada, a maior abertura de capital no ano até aqui e registrou uma demanda que superou em mais de cinco vezes o volume ofertado. Às 11h10, os papéis da empresa subiam 1,56%.

O Grupo Mateus, fundado em 1986 por Ilson Mateus, é a primeira empresa do Maranhão listada na Bolsa brasileira e a 14ª do Nordeste. "A oferta traz mais representatividade geográfica à B3", disse o presidente da Bolsa, Gilson Finkelsztain, na cerimônia virtual de estreia da empresa. "O Grupo Mateus tem uma história incrível de empreendedorismo, que deixa uma estrutura familiar e enxerga a bolsa como um parceiro para ajudar a trilhar essa nova fase de expansão", afirmou.

Ilson Mateus, também no evento de estreia da ação de sua empresa, disse que um dos objetivos da empresa é geração de emprego, "que é isso o que o País precisa". 

Com a oferta e dinheiro no caixa o objetivo é crescer mais. Do total da oferta, R$ 3 bilhões serão destinados para expansão orgânica. Ilson Mateus foi um dos vencedores na oferta secundária, mas segue no controle, com cerca de 80% do capital.

O Grupo Mateus é o quarto maior atacarejo do País, com 137 lojas no Maranhão, Pará e Piauí. O fundador da companhia construiu a rede, que hoje emprega mais de 20 mil pessoas, do zero, começando com uma pequena mercearia, que anos depois, em 2009, iria faturar quase R$ 10 bilhões ao ano.

Foram coordenadores do IPO a XP Investimentos, Bradesco BBI, BTG, Itaú BBA, BB Investimentos, Santander e Safra.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.