Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Primeira prévia de julho registra deflação de 0,13%

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), medido pelo Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) da USP, registrou deflação de 0,13% nas primeira quadrissemana de julho. O porcentual foi um pouco maior do que o registrado no encerramento de junho, quando a inflação do município de São Paulo foi de -0,20%. Mas o IPC ficou dentro das expectativas dos 10 analistas ouvidos pela Agência Estado, que apostavam numa variação entre -0,07% e -0,25%. Saúde registrou a maior alta do período, com elevação de 0,73%, levemente inferior à apurada pela pesquisa realizada na semana passada, quando a elevação foi de 0,76%. O item Despesas Pessoais, que em junho subiu 0,15%, teve alta de 0,38% na primeira prévia do mês. Habitação também registrou variação maior na comparação com a pesquisa divulgada semana passada: 0,26% ante 0,21%. O grupo Educação avançou 0,23%, levemente acima do aumento registrado no fechamento do mês passado, que foi de 0,22%. Vestuário, que vinha registrando quedas consecutivas, subiu 0,18% no período pesquisado. No último mês, o grupo teve baixa de 0,16%. O item Transportes, que teve desaceleração de 0,11% na última pesquisa, manteve-se estável na primeira quadrissemana de julho. Já Alimentos registrou queda mais acentuada do que no período passado. De acordo com a pesquisa divulgada esta manhã, os itens que compõem o grupo tiveram queda de 1,43%, ante baixa de 1,39% no mês passado. Veja as variações dos itens que compõem o IPC: Habitação: +0,26%; Alimentação: -1,43%; Transportes: 0,00%; Despesas Pessoais: +0,38%; Saúde: +0,73%; Vestuário: +0,18%;Educação: +0,23%; Índice Geral: -0,13%.

Agencia Estado,

12 de julho de 2005 | 05h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.