Primeira prévia IGP-M de agosto fica em 0,19%

A primeira prévia do Índice Geral de Preços (IGP-M) de agosto ficou em 0,19%, segundo informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV). Na primeira prévia de julho, o IGP-M ficou em 0,56%. O resultado de agosto ficou abaixo das estimativas dos analistas do mercado financeiro ouvidos pela Agência Estado (entre 0,25% e 0,54%). A FGV divulgou ainda a composição dos indicadores que compõem a primeira prévia do IGP-M de agosto. O Índice de Preços por Atacado (IPA) ficou em 0,07% na primeira prévia deste mês, ante os 0,57% observados na primeira prévia do IGP-M de julho. O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) ficou em 0,32% na primeira prévia do IGP-M de agosto, ante os 0,51% registrados em igual período no mês passado. Já o Índice Nacional do Custo da Construção (INCC) ficou em 0,71% na primeira prévia do IGP-M deste mês, ante os 0,63% apurados na primeira prévia do mesmo indicador em julho. No ano, a inflação acumula alta de 8,39%; em 12 meses, o IGP-M tem elevação de 11,30%.Preços de produtos agrícolas caemNo atacado, os preços dos produtos agrícolas apresentaram queda de 0,70% no âmbito da primeira prévia do IGP-M de agosto, divulgada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Na primeira prévia do mesmo indicador em julho, os produtos agrícolas subiram 0,76%. Também no atacado, os preços dos produtos industriais tiveram alta de 0,36% na primeira prévia do IGP-M deste mês, ante elevação de 0,49% na primeira prévia do mesmo indicador em julho. A FGV informou ainda que os bens de consumo subiram 0,26% no âmbito da primeira prévia do IGP-M de agosto, ante queda de 0,15% na primeira prévia do mesmo indicador em julho; já os bens de produção tiveram queda de 0,02% ante elevação de 0,92% na primeira prévia do IGP-M de julho. Por produtos, as altas mais expressivas de preço no atacado foram registradas em leite in natura (3,48%); tomate (34,18%) e suínos (4,57%). Já as mais significativas quedas de preço foram observadas em registradas em soja (-11,91%); café em coco (-7%); e milho (-4,34%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.