Primeiro dia de negociação na OMC foi inútil, diz Amorim

Chanceler brasileiro diz que início das discussões sobre Doha foi 'sem surpresas, mas também sem idéias'

Da Redação,

21 de julho de 2008 | 16h50

O primeiro dia de negociações sobre a liberalização do comércio mundial foi "totalmente inútil", afirmou nesta segunda-feira, 21, em Genebra o ministro de Relações Exteriores, Celso Amorim, segundo informações da agência AFP.   Veja também: Rodada Doha: entenda o que está em jogo em Genebra EUA dizem ser 'bode expiatório' de alguns países em Doha Brasil classifica oferta da UE de reduzir tarifa de 'propaganda' UE propõe ampliar corte de tarifa agrícola para 60% Críticas de Amorim podem prejudicar negociações    "Sem surpresas, mas também sem idéias. Estamos no mesmo ponto de antes da reunião", afirmou Amorim ao finalizar o primeiro encontro de ministros de cerca de 40 países convocados discutir a Rodada de Doha da Organização Mundial de Comércio (OMC).   "Talvez tenha sido uma reunião necessária, tinha que ser feita, mas totalmente inútil do meu pronto de vista, porque não houve nenhuma idéia nova, nenhuma sugestão. Esperemos até amanhã, as pessoas precisam expressar suas posições", acrescentou.   A Rodada de Doha está polarizada entre os pedidos dos países emergentes por maior acesso aos mercados agrícolas dos países ricos e os de Estados Unidos e Europa, que querem maior abertura para suas exportações de produtos industrializados.   A representante de Comércio dos Estados Unidos, Susan Schwab, foi mais positiva ao comentar o primeiro dia de discussões. "Alguns países começaram realmente a falar sobre o que podemos fazer, focalizando no que podem e não podem fazer", disse.

Mais conteúdo sobre:
Rodada DohaCelso Amorim

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.