Principais fundos de pensão vão investir em aeroportos

Os três maiores fundos de pensão do País se preparam para investir em aeroportos. Petros (dos funcionários da Petrobras), Previ (do Banco do Brasil) e Funcef (da Caixa Econômica Federal) montaram um grupo de trabalho para mapear o setor e ver as oportunidades de investimento, segundo o diretor financeiro e de investimentos da Petros, Carlos Costa. "É uma grande oportunidade e temos interesse", disse o executivo.

ALTAMIRO SILVA JÚNIOR, ENVIADO ESPECIAL, Agencia Estado

21 de setembro de 2011 | 13h31

Os fundos vão participar como investidores estratégicos e o investimento será feito por meio da Invepar, empresa de participações criada pelas três maiores fundações do País. A companhia tem patrimônio de R$ 4 bilhões.

Segundo o executivo, os fundos estão avaliando vários fatores dos terminais brasileiros, incluindo volume de passageiro, transporte de cargas e necessidade de modernização. "Estamos fazendo isso para que, quando o edital sair, já estarmos preparados", disse ele. Segundo o diretor da Petros, apesar das discussões dos investimentos estarem sendo feitas na Invepar, nada impede que cada um dos fundos faça também investimentos separados em cada terminal.

Em dezembro, o governo deve publicar o edital para licitação de três aeroportos (Cumbica, Viracopos e Brasília). Pelo modelo definido, os investidores privados terão participação de até 51% nas Sociedades de Propósito Específico (SPEs). A Infraero, estatal que administra os aeroportos, terá fatia de até 49%.

No portfólio de investimentos da Invepar está a concessão do Metrô do Rio de Janeiro, da Linha Amarela, também no Rio, a rodovia Raposo Tavares, em São Paulo, e o Arco Rodoviário no polo de Camaçari, na Bahia.

Ontem, Eustáquio Lott, presidente da Valia, fundo de pensão dos funcionários da Vale, disse que a fundação também avalia o setor de aeroportos. Mas que até agora nenhum fundo de participações procurou a fundação para discutir esse tipo de investimento.

Os executivos dos fundos de pensão participam do 32º Congresso Brasileiro dos Fundos de Pensão, promovido pela Abrapp (Associação Brasileiras das Entidades Fechados de Previdência Complementar). O evento termina hoje.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.